Você: Chapeuzinho e Lobo Mau



Já passa das 19h de uma terça-feira, 23 de outubro de 2018. O que este dia de trabalho, pelo menos até aqui, revela sobre o seu caminho de vida? Se você o transformasse num script ou em um conto de fadas, entre feitiços e feiticeiros, qual seria o seu papel e seu drama?

Quando vivi minha carreira executiva encontrei muitos vilões, entre chefes e colegas. Hoje eu sei que cada um deles se alimentava da forma como eu inconscientemente lidava com meu passado, caindo cegamente – e repetidamente – na armadilha de antigos padrões. Por outro lado, o tempo me mostrou que algumas escolhas e passos me conduziram com sabedoria parar meu vir a ser, fadas que nos convidam ao movimento!

Nem sempre compreendemos como estas forças atuam em nós. Algumas, entre proibições e normas, vêm de vivências dos nossos primeiros setênios. Outras, são as crises de desenvolvimento que nos convidam a evoluir e nem sempre queremos encará-las, buscando abrandá-las com um medicamento aqui, uma ida ao shopping ali, um certificado acolá. A boa notícia é que tudo que se apresenta vem para nosso crescimento. A questão é como lidar no íntimo com tudo isso.

Por isso, a pergunta: o quanto você conhece sobre as leis que regem as fases da vida? Conhecê-las e identificá-las transforma sua relação com o presente, a partir da organização dos fatos e uma compreensão maior sobre o passado, fazendo dele um aliado, abrindo espaço para o desenvolvimento saudável da sua individualidade.

Neste mapear de nós mesmos, neste espelho de ângulos tão sistêmicos, podemos dialogar melhor em nossa carreira (e em outros aspectos da nossa existência) com o mocinho que nos habita e manter vilão em seu devido lugar.

Então, se você for capaz de enxergá-los com clareza, dê as boas-vindas aos personagens que surgem nas linhas e entrelinhas do cotidiano. O final da história pode ser que nem sempre seja feliz, mas certamente será genuíno!

(imagem de Paula Rego)